Sobre o Mege

Nossa história

COMO TUDO COMEÇOU

De início, a sigla Mege representava um grupo de estudo alocado no facebook voltado para a preparação de candidatos que prestavam concursos para a magistratura estadual - intitulado "Magistratura Estadual (Grupo de Estudo)". A página, em curto tempo, tornou-se a maior do país no segmento com, atualmente, 45.000 membros (até 01/09/2016). Diante do crescimento numérico, o público também recebeu a oportunidade de focar seu estudo em outras carreiras com páginas próprias ramificadas para: Ministério Público Estadual, Defensoria Pública Estadual, Advocacias Públicas e Humanística. Toda essa história começou com Arnaldo Bruno Oliveira, em Julho de 2013, através da criação de uma página voltada para o estudo coletivo e debate sobre temas jurídicos centralizados na magistratura estadual, com o intuito de reunir candidatos, que já avançavam para as fases finais de concursos daquela carreira, para uma maior transparência nas informações relativas aos certames e troca de feedback de conteúdo. Naquela ocasião visava-se fomentar uma colaboração permanente na troca e difusão de temas jurídicos em busca de uma democratização de informações, antes tidas como privilegiadas e, até mesmo, raras na internet (questões de provas orais, gabaritos de segunda fase, pesquisa de bancas, estudo de jurisprudência etc). Criava-se ali a semente de um modelo de experiência multilateral que passou a popularizar conceitos técnicos pouco usuais na graduação jurídica e a sanar dúvidas dos milhares de novos membros em resposatas instantâneas.

O Mege, dentro do espírito solidário e participativo, passou a ser uma fonte diária de estudo, visitada não mais apenas de candidatos, mas por grandes nomes do meio jurídico. Com o tempo surgiram os primeiros depoimentos de aprovações dedicados para o espaço, o que se tornou uma rotina a cada novo resultado em grandes concursos, em especial, para as carreiras estaduais - sem que isso encerrasse o ciclo de interatividade das novas autoridades saídas da página. O grupo buscou manter ao longo do tempo um debate jurídico no devido nível exigido nos grandes certames e fomentou a cultura de um modelo inspirado na “corrente do bem” e na importância de passar adiante o conhecimento.

Os membros da página, ao se ambientarem, passaram a adicionar outros amigos com o perfil designado, o que gerou uma fusão qualificada de experiências entre Concurseiros, Advogados, Autores de obras jurídicas, Professores, Delegados, Defensores Públicos, Promotores de Justiça, Procuradores Estaduais, Juízes de Direito etc. Naquele espaço incentivou-se que todos compartilhassem materiais autorais de estudo, questões atualizadas, dicas, consultas bibliográficas, notícias de novos concursos, reflexões jurisprudenciais, artigos científicos, alertas sobre as novidades legislativas, debates teóricos e até mesmo um recanto de apoio emocional e social necessário.

O Grupo, em pouco tempo, já conquistava um forte vínculo na rotina de seus membros - que tiveram o seu perfil ampliado. A repercussão da página começou a atrair grandes juristas e autores renomados do cenário nacional (Luiz Flávio Gomes, Eugênio Pacelli, Aury Lopes Jr., Alice Bianchini, Willian Douglas, Luiz R. Wambier, Marcelo Novelino, entre outros). De uma forma, naturalmente desenvolvida, autoridades e estudantes passaram a trocar conhecimento de maneira direta e efetiva. O concurseiro, a razão maior de tudo, passou a ser um dos protagonistas na produção de conteúdo jurídico - em especial, do conteúdo jurídico para o seu próprio universo. No esteio da troca de informações, inúmeros foram os relatos de pessoas que criaram perfis em rede social apenas para interagir no espaço. Ao todo, os grupos de cada uma das carreiras específicas passaram a somar mais de 90.000 pessoas (até 10/09/2016). Durante toda essa história, inúmeros foram os livros presenteados, assim como diversas as atividades coletivas desenvolvidas (entre questões objetivas, discursivas, resumos, vídeo-aulas, simulados, revisões em véspera de provas etc). No entanto, permanecia uma limitação em ferramentas para otimização e organização daquilo que era produzido. Nesse cenário de ebulição de conhecimento passou-se, diariamente, a surgirem sugestões para o avanço da experiência, o que culminou na elaboração de um novo projeto: um portal completo que atendesse aos maiores anseios observados e relatados pelos membros do Mege e que tivesse uma identidade de complementação ao que já havia sido desenvolvido com sucesso. Uma síntese qualitativa da experiência já realizada, agora associada a novas ferramentas e possibilidades. A ideia de fazer a diferença no meio jurídico permaneceu viva a todo momento em um trabalho apoiado por uma massa espalhada por todos os cantos do país, que logo reconheceu o valor do que era desenvolvido e, somente na fase de prévio cadastramento, registrou milhares de novos perfis nesta página. Eis a razão pela qual este site foi pensado e concretizado.

Em um segundo momento, o Mege passou a contar com uma proposta de ensino personalizado, uma solução para uma nova ideia em estudo jurídico de alto rendimento (efetivamente, personalziado), em complemento ao modelo colaborativo. Para isso, foi montada uma equipe, em boa parte de pessoas saídas dos próprios grupos de estudos do Mege, associadas a outros nomes com qualificação em ensino jurídico, em busca de um novo modelo de ensino. O que culminou na criação do Curso Mege, tendo a primeira turma da iniciativa sido preparada para a prova oral do Ministério Público do Estado do Pará, onde o agora, Curso Mege, conseguiu de imediato ajudar seus alunos a conseguirem as maiores notas da prova oral do concurso e da prova de tribuna (10,0), selando esse belo início de história com 100% de aprovação no certame (28 aprovados). Abaixo segue um pouco sobre a opção do Mege para ensino personalizado, o que revolucionou a forma de preparação para concursos públicos, em um modelo que muitos candidatos saídos das turmas específicas do Curso Mege tratam como pensado de "concurseiro para concurseiro".

CURSO MEGE

O Curso Mege adota um modelo completamente inovador de ensino jurídico, em que procura individualizar sua atuação para cada candidato, com atuações em fases e concursos específicos – com a mentalidade de personalizar o estudo através de treinamentos, suporte, envio de materiais inéditos, videoconferências para aulas expositivas coletivas, videoconferências individuais (professor e aluno) para correções de atividades, planejamento de estudo e desempenho de atividades voltadas para a realidade de cada desafio. Um modelo completamente inovador e que já é recordista de aprovações por onde atua.

A Equipe é formada por Professores com experiência em preparatórios para carreiras jurídicas; Ex-examinadores de concursos para Magistratura, Ministério Público e Defensoria Pública; Juízes de Direito; Promotores de Justiça; Defensores Públicos; Autores de obras jurídicas; Doutores; Mestres; Especialistas; Pesquisadores; em uma verdadeira fusão de experiências e conhecimentos em prol da especialização de ensino (notadamente, ao fortalecimento do conteúdo jurídico). 

As turmas apresentam metodologias próprias adaptadas para a realidade de cada concurso, em cada fase. O curso utiliza videoconferências individuais simuladas de prova oral (com banca formada por membros da equipe Mege), com material escrito enviado para revisão, após a pesquisa de cada banca específica (com a utilização de questionamentos adotados em outros certames da mesma organizadora, além de outros inéditos propostos pelo curso como palpites de novas abordagens); treinamentos de apresentações em provas de tribunas com casos inéditos e com casos já utilizadas por bancas examinadoras; realização de provas discursivas manuscritas simuladas, simulados de peças práticas, vídeo-aulas gravadas pelos professores sobre temas pontuais, simulados de provas objetivas, aulas de revisão, videoconferências individuais (professor e aluno), planejamento de estudo, monitoramento de metas etc.  Cada proposta especificada para aquilo que a Equipe Mege considera como o mais apropriado para cada realidade.

Em termos de resultados, o Curso Mege aprovou (em definitivo) somente em 2015 (entre Fevereiro de 2015 e Agosto de 2016): 

•    33 aprovados no TJ-AL (9 alunos entre os 10 primeiros da prova oral);

•    22 aprovados no TJ-GO;

•    44 aprovados no TJ-SP 186 (6 alunos entre os 10 primeiros da prova oral);

•    4 aprovados no TJ-SC; 

•    19 aprovados no TJ-RR (1º 2º lugares da prova oral);

•    29 aprovados no TJ-PB (1º e 4º lugares na prova oral);

•    27 aprovados no TJ-PE (1º, 2º, 3º, 5º e 7º lugares na prova oral); 

•    7 aprovados no TJ-DFT; 

•    26 aprovados no TJ-RN (1º lugar geral no concurso); 

•    10 aprovados no TJ-SP 185; 

•    26 aprovados no TJ-PA; 

•    9 aprovados no TJ-CE (2º e 3º lugares do concurso); 

•    2 aprovados no TRF-4; 

•    12 aprovados no MP-ES;

•    7 aprovados no MP-RJ;

•    15 aprovados no MP-AM;

•    28 aprovados no MP-PA (1º lugar na prova oral e 1º lugar na prova de tribuna); 

•    3 aprovados no MP-SP; 

•    7 aprovados no MP-BA; 

•    67 aprovados na DPE-RN (3º lugar da Prova Oral);

•    28 aprovados na DPE-PB (1º lugar geral no concurso, 4 entre os 6 primeiros lugares do certame na prova oral); 

•    23 aprovados na DPE-MS; 

•    17 aprovados na DPE-CE, 

•    19 aprovados na DPE-PA; 

•    21 aprovados na DPE-MA;

•    8 aprovados para Notários no TJ-PI;

•    4 aprovados Delegados de Polícia no DF.

O Mege conta ainda com canais no Instagram (@curso_mege), Periscope (curso_mege), Twitter (@Mege_concursos), Fanpage no facebook (/cursomege) e sedes físicas nos Estados do Maranhão (setor administartivo), Ceará (cursos e sala de estudo) e Minas Gerais (central de pesquisa). Ao todo contamos com mais de 120.000 pessoas em nosso Network (até 10/09/2016).

#VemproMege!



Sejam bem-vindos ao novo capítulo dessa história!

Contamos com a sua participação.